Rafael Carneiro Garcia

Archive for the ‘Sábado’ Category

Sampa – João Gilberto

In Música, Sábado, São Paulo on November 25, 2012 at 3:15 pm

Na tentativa de postar mais regularmente neste blog cabe também o retorno das músicas aos sábados.

Trato hoje de algo que tem me deixado muito saudoso, uma saudade muito específica, falo hoje de São Paulo, a cidade.

A cidade com mais problemas do Brasil também é a que acumula mais soluções, porém não só as soluções que me agradam na capital paulista, e sim, sua personalidade, algo como o seu lema “Non dvcor dvco“(que nasceu para ser do estado de São Paulo, mas foi trocado por uma pressão externa) misturado com a sua formação plural, retrato de um Brasil igualmente diverso.

A homenagem de hoje vem em forma de canção, e a canção de hoje nasceu em uma forma de homenagem.

Era 1978, em mais um 25 de Janeiro, o 424o. da bela paulicéia, a TV Bandeirantes encomendara um depoimento de um dos muitos imigrantes vindos do nordeste para construir São Paulo, Caetano Veloso então resolveu criar uma música sobre as suas impressões da cidade, alcançou um magnífico resultado.

São Paulo é uma cidade que não se traduz em muitas canções, acredito porém, que a música que posto hoje é tão impecável que não seria necessário outras homenagens nesta forma, não que maior cidade do Brasil não mereça.

A escolha de João Gilberto, e não o próprio compositor, é pessoal. Acontece de nos acostumarmos com a versão que primeiro chega aos nossos ouvidos. Quis o destino que eu ouvisse de um outro interprete, também quis o mesmo que ele fosse baiano.

Nota: Compus esse post no sábado, apesar de posta-lo apenas hoje (Domingo).

Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e Av. São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas
Ainda não havia para mim Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e avenida São João

Quando eu te encarei frente a frente e não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos mutantes
E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vem de outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva
Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mas possível novo quilombo de Zumbi
E os Novos Baianos passeiam na tua garoa
E novos baianos te podem curtir numa boa

As Minas do Rei Salomão – Raul Seixas

In Manaus, Mãe, Música, Raul Seixas, Sábado on May 5, 2012 at 4:43 am

“Do passado, eu me esqueci…
No presente, eu me perdi…
Se chamarem, diga que eu saí.”

Música é provavelmente a forma mais fácil de se lembrar do passado. Tenho uma memória fraca, ainda mais quando se fala em infância, porém algo que certamente levarei para a vida serão as músicas que costumavam tocar em casa quando ainda era muito pequeno para entende-las.

Meus Pais, em especial minha Mãe, conservam um bom gosto musical, e tendem a ouvir, em casa, músicas dos seus tempos de jovem.

Assim conheci Gil, Caetano, Tom, Bethânia, Tim e Raul. Em dias de finais de semana, brincando no quintal de casa.

Há um tempo, entretanto, em que essas músicas caem no esquecimento – alguns autores costumam chama-lo de Adolescência, mas ele se encerra, e essas canções vão sendo redescobertas.

Esta é a história dessa música, espero que gostem.


Entre, vem correndo para mim
Meu princípio já chegou ao fim
E o que me resta agora é o seu amor
Traga a sua bola de cristal
E aquele incenso do Nepal
Que você comprou num camelô

E me empresta o seu colar
Que um dia eu fui buscar
Na tumba de um sábio Faraó

Veja quanto livro na estante!
“Dom Quixote”
“O Cavaleiro Andante”
Luta a vida inteira contra o rei
Joga as cartas
Lê a minha sorte!
Tanto faz a vida como a morte
O pior de tudo eu já passei

Do passado me esqueci
No presente me perdi
Se chamarem
Diga que eu saí
Do passado eu me esqueci
No presente eu me perdi
Se chamaram!
Diga que eu saí

Veja quanto livro na estante!
“Dom Quixote”
“O Cavaleiro Andante”
Luta a vida inteira contra o rei
Joga as cartas
Lê a minha sorte!
Tanto faz a vida como a morte
O pior de tudo eu já passei

Do passado eu me esqueci
No presente me perdi
Se chamarem
Diga que eu saí
Do passado me esqueci
No presente me perdi
Se chamarem!
Diga que eu saí

Revista Veja vs José Dirceu – A Batalha dos Horrores

In José Dirceu, Política, PT, Reinaldo Azevedo, Sábado on August 27, 2011 at 4:21 pm

Guerra que segue…

José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, continua sendo o alvo preferido pelas mídias “investigativas”.

A Revista Veja desta semana produz uma farta matéria sobre o petista, o que não esperava era uma investida tão forte do seu “adversário”, com uma acusação seríssima: A de violação de domicílio.

Vamos aos dois lados da moeda:

Blog de José Dirceu com o acontecimento narrado pelo próprio.

BO apresentado por José Dirceu em seu blog pessoal.

Blog do Reinaldo Azevedo “apresentando” a matéria que estampará a capa da revista nessa semana e também “explicando” a tramóia do ex-ministro contra a Veja.

Fotos do “Gabinete” do petista em Brasília

Escolha seu lado, ou pegue a sua pipoca, pois mais uma vez essa batalha é feita por vilões.

Aliás, os mocinhos até existem, dou um doce para quem advinhar quem paga o pato nessa guerra de interesses.

Aproveitando a deixa…

In Amy Winehouse, Drogas, Sábado on July 23, 2011 at 5:52 pm

Eu gostaria que hoje fosse um dia de homenagens a uma grande cantora do nosso tempo que se vai.

Porém ao entrar no twitter o assunto Amy Winehouse parece que ficou um pouco de lado para se falar sobre o uso que ela fez de Drogas durante a vida, e sobre o uso destas em geral.

Gosto de pensar em drogas como substâncias que alteram os sentidos, portanto álcool e cigarro são drogas também, posto isso vamos ao vídeo.

Portanto, colocar todas as drogas ilícitas no mesmo barco, sem falar na hipocrisia de não enxergar o mal que causa as lícitas, é  uma irresponsabilidade, visto que se poderia concentrar as atenções em drogas mais prejudiciais ou num estudo para atenuar os efeitos maléficos dos entorpecentes.

Partido Alto – Cássia Eller

In Cassia Eller, Música, Sábado on July 23, 2011 at 7:03 am

Essa música é constituída basicamente de dois elementos: Religião (ou a falta dela) e Brasil (Rio de Janeiro para ser mais exato).

A combinação é boa, se você gostar um pouco mais de música popular consegue traçar uma linha de pensamento similiar a “Deus é Brasileiro” do Terra Samba  com o seu “Eu tenho lá minhas dúvidas se Deus é Brasileiro!” ou “Coitado se ele (Deus) for o gerente do Brasil…”. Porém tomando as devidas proporções entre  Edson Emanuel e Chico Buarque de Hollanda, vemos a diferença de qualidade entre as músicas na sutileza do segundo.

Particularmente eu gosto das músicas que “cobram” a divindade pela miséria da nação mais católica do Mundo. Apesar de ser um pouco dramático, Chico consegue nos mostrar uma visão bem popular dessa fé em um momento onde o narrador começa a pensar que ficará mesmo “à Deus dará” e não que “Deus dará”.

Da parte que perfila o brasileiro pode-se resumir a estrofe mais simbólica:

Deus me deu mãos de veludo
Prá fazer carícia
Deus me deu muitas saudades
E muita preguiça
Deus me deu pernas compridas
E muita malícia
Pra correr atrás de bola
E fugir da polícia
Um dia ainda sou notícia

Onde entre tantos clichês, finaliza com um desejo bem comum no Novo Mundo de “ser notícia”.

A escolha da intérprete é tanto uma opinião pessoal quanto uma homenagem.

Deus é um cara gozador
Adora brincadeira
Pois pra me jogar no mundo
Tinha o mundo inteiro
Mas achou muito engraçado
Me botar cabreiro
Na barriga da miséria
Eu nasci brasileiro
Eu sou do Rio de Janeiro

Diz que deu
Diz que dá
Diz que Deus dará
Não vou duvidar, oh nega
E se Deus não dar
Como é que vai ficar, oh, nega?
“à Deus dará” , “à Deus dará”

Diz que deu
Diz que dá
Diz que Deus dará
Não vou duvidar, oh nega
E se Deus negar
eu vou me indignar e chega
Deus dará , Deus dará

Jesus Cristo ainda me paga
Um dia ainda me explica
Como é que pôs no mundo
Essa pobre titica
Vou correr o mundo afora
Dar uma canjica
Que é pra ver se alguém se embala
Ao ronco da cuíca
Um abraço pra aquele que fica, meu irmão

Deus me deu mãos de veludo
Prá fazer carícia
Deus me deu muitas saudades
E muita preguiça
Deus me deu pernas compridas
E muita malícia
Pra correr atrás de bola
E fugir da polícia
Um dia ainda sou notícia

Deus me fez um cara fraco
desdentado e feio
Pele e osso, simplesmente
Quase sem recheio
Mas se alguém me desafia
E bota a mãe no meio
Eu dou porrada a três por quatro
E nem me despenteio
Porque eu já tô de saco cheio.

Quando o Carnaval Chegar – Chico Buarque

In Carnaval, Chico Buarque, Música, Sábado on March 5, 2011 at 2:34 pm

Ontem achei digno ouvir essa música, e percebi que a (curta) letra dela é muito mais intensa do que me lembrava.

Dedico a todos que se guardam para o Carnaval.

Boa Folia.

ps: O som do vídeo tá meio ruim, mas as imagens compensam. Para os que ainda sim querem um áudio melhor podem ouvir no 4shared.

Quem me vê sempre parado, distante
Garante que eu não sei sambar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu tô só vendo, sabendo, sentindo, escutando
E não posso falar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu vejo as pernas de louça da moça que passa e não posso pegar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
Há quanto tempo desejo seu beijo
Molhado de maracujá
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
E quem me ofende, humilhando, pisando, pensando
Que eu vou aturar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
E quem me vê apanhando da vida duvida que eu vá revidar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu vejo a barra do dia surgindo, pedindo pra gente cantar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu tenho tanta alegria, adiada, abafada, quem dera gritar
Tou me guardando pra quando o carnaval chegar

Aloca

In Política, PSDB, PT, Sábado, Senado on February 19, 2011 at 9:59 pm

Talvez um dos momentos da semana mais engraçados deva ser o pití protagonizado pelo Senador Mario Couto (PSDB-PA) na tribuna do nobre Senado Federal depois de ter seu microfone cortado pela mesa diretora (presidida no momento por Marta Suplicy (PT-SP)) enquanto discursava a plenos pulmões contra o governo.

Confira:

Cá pra nós, ele tem razão…

Links Publicus

In Links, Sábado on February 19, 2011 at 9:41 pm

Semana difícil… Poucos links :x

Tirinha: Ajudinha na memoria
Entrevista: Juca entrevista Felipão (vídeo longo)
Notícia: Peganínguem da Micareta
Vídeo: Camera Indiscreta ;p
Reclamação: Facebook
CD: Lotus Flower – Radiohead (link para clipe da música homónima)

Muammar Al-Gaddafi a 42 (!!) anos no poder na Líbia – Parece que a revolução se instalou de vez por lá também. Ele, como qualquer déspota, cortou as fontes de informações: Twitter, Facebook e TV Al Jazeera.

Lenço no Pescoço – Wilson Batista

In Música, Noel Rosa, Sábado, Wilson Batista on February 19, 2011 at 5:11 am

Wilson Batista talvez seja mais reconhecido pelo Duelo que travou com Noel Rosa do que por sua obra musical.

Nesta canção, que parece ter iniciado o confronto, ele tenta provocar o adversário com a sua malandragem, coisa que julgava que Noel, por morar em um bairro mais bem estabelecido como a Vila Isabel, jamais seria capaz de superar.

Além disso há a evocação a um certo orgulho da malandragem carioca “Eu tenho orgulho em ser tão vadio”.

Atentem para as partes que ele canta rápido, um charme a mais na música.

Meu chapéu do lado
Tamanco arrastando
Lenço no pescoço
Navalha no bolso
Eu passo gingando
Provoco e desafio
Eu tenho orgulho
Em ser tão vadio

Sei que eles falam
Deste meu proceder
Eu vejo quem trabalha
Andar no miserê
Eu sou vadio
Porque tive inclinação
Eu me lembro, era criança
Tirava samba-canção

Comigo não
Eu quero ver
quem tem razão

E eles tocam
E você canta
E eu não dou

Links Publicus

In Links, Sábado on February 12, 2011 at 2:02 pm

Manolagem: Fuck Yea
Notícia: Infidelidade está no DNA
Cinema: Divulgado o Elenco de “Faroeste Caboclo”
Golaço: Rooney
Blog: Porra, Gráfico
Vídeo: Johnny Mac, em breve na NFL

Lula, no seu primeiro voo como um “mortal”

Futebol: O país do Futebol?
Conto: Max Wilson (+18 e grunge)
Nostalgia: O dia em que Lady Gaga visitou o Castelo Rá-Tim-Bum
Fotos: Todo Carnaval tem seu fim…
Tira: Vestibular1 e Vestibular2
Charge: Plantando a Democracia