Rafael Carneiro Garcia

Archive for November, 2011|Monthly archive page

Vem!

In Brasileirão, Corinthians, Palmeiras on November 27, 2011 at 9:36 pm

Vocês já sabiam… tinha que ser assim… era pra ser assim!!

Parabéns por terem chegado até aqui nesta situação, mas você, corinthiano de verdade, “maloqueiro-e-sofredor”, sabe que o próximo domingo vale mais que o título Brasileiro, e que o gosto desse título será muito melhor se vier com uma vitória no clássico.

Portanto alegrem-se, o Palmeiras está pronto.

Tenham uma ótima semana.

ps: A primeira foto refere-se à final do Paulistão de 1974, quando o Corinthians, em jejum a 21 anos, jogava sua vida. O Palmeiras venceu e a foto de Luís Pereira “consolando” Rivelino marcaria o jogo para sempre. Nesse dia 120 mil “almas” foram ao Morumbi, o recorde do clássico.

Advertisements

“Up in the Air”

In Aviação, Cinema on November 24, 2011 at 1:56 am

Ou “Amor sem Escalas”, como foi lançado no Brasil.

Não estamos falando em uma pérola do Cinema, um filme para ser lembrado por gerações futuras. “Up in the Air” é apenas um bom filme de entretenimento que gostaria de compartilhar com vocês.

Trata-se de uma película simples, que não tem interpretações que o comprometam, com uma linearidade bem encaixada, e sem muitos clichês, algo que se espera de qualquer filme com pano de fundo “romântico”.
Para os mais refinados pode-se enxergar um filme mais complexo devido ao tema “demissão” bastante abordado, o que dá margem a uma boa reflexão sobre a vida profissional de uma pessoa e como ela se mistura à sua “vida emotiva” nesse momento tão delicado. Aliás, o link entre essas duas fases de uma biografia é feito de maneira perfeita no filme, sem em nenhum momento forçar essa relação.

Deixo-os com as palavras do Sr. Ryan Bingham (George Clooney):

“Tonight, most people will be welcomed home by jumping dogs and squealing kids. Their spouses will ask about their day, and tonight, they’ll sleep. The stars will wheel forth from their daytime hiding places; and one of those lights, slightly brighter than the rest, will be my wingtip, passing over.”

Dança das Cadeiras

In Dilma, Música, Ministérios, Nara Leão, Política on November 21, 2011 at 5:46 pm

“Vai vai vai começar a brincadeira…
Tem charanga tocando a noite inteira
Vem vem vem ver o Circo de verdade…
Tem tem tem picadeiro de qualidade…”

E eis que se começa a desenhar a dança das cadeiras na Esplanada dos Ministérios, com a palavra, o Blog do Josias:

1Trabalho: Carlos Lupi (PDT) será convidado a deixar o governo. Se não for abalroado por nenhuma nova denúncia, sairá junto com os demais.

Dilma está decidida a manter um representante do PDT em sua equipe. Porém, considera a hipótese de retirar a legenda do Trabalho.

2Cultura: Ana de Hollanda deve ser afastada. O desempenho da irmã de Chico Buarque, escolha pessoal de Dilma, ficou aquém do que desejava a presidente.

3Cidades: Imposto a Dilma pelo PP, Mário Negromonte será defenestrado expurgado por duas razões. Primeiro porque perdeu o apoio de sua legenda.

Segundo porque é visto no Planalto como gestor temerário de uma pasta convertida em escândalo esperando para acontecer.

4Desenvolvimento Agrário: A cabeça de Afonso Florence (PT) deve descer à bandeja pela mesma razão invocada contra Ana de Hollanda: ineficiência.

5Educação: Fernando Haddad (PT) trocará a Esplanada pelos palanques municipais de São Paulo.

6Integração Nacional: Dilma não cogitava trocar Fernando Bezerra Coelho (PSB). O ministro foi à lista graças a uma jogada de seu padrinho político.

O governador pernambucano Eduardo Campos empina a candidatura de Fernando Bezerra à prefeitura do Recife. A troca está condicionada à efetivação do plano.

8Fusão de secretarias: Dilma cogita incorporar duas secretarias (Igualdade Racial e Políticas para as Mulheres) em uma (Direitos Humanos).

Nessa hipótese, a secretaria “três em um” seria chefiada por Maria do Rosário (PT), atual ministra dos Direitos Humanos.

Luíza Bairros (PT), hoje à frente da secretaria de Igualdade Racial, perderia a função. Iriny Lopes (PT), gestora da pasta das Mulhres, também.

Iriny tenta viabilizar-se como candidata petista à prefeitura de Vitória (ES). Dilma sonha com o êxito da empreitada.

9Pesca: É outra pasta que, por desnecessária, Dilma gostaria de riscar do organograma. A ideia é fundi-la ao Ministério da Agricultura.

Luiz Sérgio (PT), transferido para a Pesca quando perdeu a coordenação política do governo para Ideli Salvatti (PT), iria ao meio-fio.

10Portos: Dilma deseja devolver os portos para a estrutura do Ministério dos Transportes. Algo que converteria Leônidas Cristino (PSB) em ex-ministro.

11Micro e Pequenas Empresas: Dilma mantém de pé a intenção de criar um ministério para esse setor. Coisa já formalizada em projeto enviado ao Congresso.

Assim, se PT e PSB não atrapalharem os planos da presidente de extinguir quatro pastas (Racial, Mulheres, Pesca e Portos), o ministério das empresas seria o 35o.

No gogó, a reforma é vendida por auxiliares de Dilma como uma virada de página. O novo time seria mais qualificado e teria as feições de Dilma.

Na prática, avizinha-se uma mexida convencional. Rendida à (i)lógica da coalizão, Dilma tende a render-se às indicações dos partidos que lhe dão suporte legislativo.

Hoje, o condomínio governista é composto por 14 legendas. Sete estão representadas no primeiro escalão.

O PT controla 18 pastas. O PMDB, cinco. O PSB, duas. PP, PDT, PR e PCdoB têm um ministério cada.

Opinião do blogueiro que vos fala:

Se as previsões de Josias de Souza estiverem certas, parece que após um ano Dilma poderá finalmente montar  sua equipe ministerial, não com a total liberdade que gostaria, pois o fisiologismo deverá acompanhar todo o seu governo.

Porém a Presidente conseguirá se livrar de uma boa parcela tanto da “herança maldita” do ex-Presidente Lula, quanto de alguns incompetentes que povoaram o seu governo no ano de 2011, soma-se isso aos outros ministros que já caíram até o momento.

Um ponto importante dessa mudança ministerial que gostaria de comentar é a diminuição de pastas.
Em geral sou sempre a favor dessa redução, pois a existência destas sempre se aproxima bem mais de cabides de emprego para partidos aliados do que uma forma de se administrar melhor o país.

Por mim não haveria nem Secretaria de Direitos Humanos, mas a fusão delas já me deixa um pouco satisfeito.

Quanto as pastas da Pesca e dos Portos sempre achei um absurdo que elas existissem, visto que, mesmo com nomes pomposos, nunca foram uteis no governo, servindo apenas para acalmar partidos da base governista.

Porém gosto da ideia de uma pasta para as Micro e Pequenas Empresas, em um “Brasil Melhor” ela não precisaria existir, mas acho o momento tupiniquim essencial para o desenvolvimento desse setor.

Aos poucos, Dilma Roussef vai  formando sua verdadeira equipe…

Sugestão deste para a Presidente:
Aproveita o embalo e manda o Lobão (PMDB-MA, Ministro de Minas e Energia) de volta pro Maranhão. O Setor energético e a Infraestrutura do Brasil agradecem…